Archive for abril, 2008

“Da manga rosa quero gosto e o sumo
Melão maduro sapoti juá
Jaboticaba teu olhar noturno
Beijo travoso de umbú-cajá
Pele macia
Ai, carne de cajú
Saliva doce, doce mel, mel de uruçu”

 

Tropicana

abril 30, 2008 at 11:35 pm Deixe um comentário

Para minha Betty Boop

Tenho um defeito que talvez 90% dos escritores também tenham. Depois de muito pensar em escrever, acabo por não fazer. Desistência. Resolvo então vir aqui, minha cara, lhe escrever algo apressado e improvisado. Já lhe disse uma vez: “são as palavras de quem nos conhece a pouco que valem mais! Porque a maioria das pessoas que encontramos na vida, não levamos para ela toda. A maioria nos conhece superficialmente. Não importa o seu profundo, esse somente amigos de anos conhecerão e amigos de anos acham tudo em você bonito!”. Acho eu que foi a coisa mais sincera (e sem querer) que ja escrevi para alguém. Em meados de 2007 quando nem mesmo sabia seu sobrenome e o que queria ser quando crescer, já sabia que você não era mais uma das “calouras” do Ensino Médio, você sabia ler de verdade, sabia elogiar de verdade e mais tarde mostrou saber escrever de verdade. Nos identificamos por aquela coisa chamada “palavra”, no seu sentido mais poético, e que na nossa idade era quase raro encontrar. Agora estamos nós, 3 anos depois, conversando sobre cursos, vestibulares, seu namorado, meus namorados, reclamando de alguns, elogiando outros poucos. Quanta coisa mudou? Quanto sei de ti agora? Continuo lhe achando natural, meio rebelde, meio nascida fora de época. Já lhe disse isso? Deveria ter sido inspirada em ti aquela bonequinha de vestido vermelho criada nos anos 30, a qual já lhe atribui o apelido várias vezes, Betty Boop. Cresce na nossa amizade uma mistura de admiração e curiosidade, uma pela outra. Me pego várias vezes querendo ser mais tua amiga, querendo sentar em um bar na madrugada e conversar até o dinheiro acabar, já que assunto não faltará. É garota, conquistamos uma a outra, simpatizamos uma com a outra, seremos sempre e teremos sempre uma a outra. Gosto de ser denominada sua amiga e gosto de poder lhe escrever “assim”. Porque só “assim” a gente sabe se entender.

abril 15, 2008 at 1:27 am 1 comentário

Então me deixe

Ouvir uma música, me alongar num tapete de borracha, voltar para a casa a pé, ver a cidade do alto, tirar o fone para ouvir as crianças brincando na rua, o barulho da água escorrendo na calçada, o vento, o trânsito, o ar. Me deixe enquadrar uma foto, tirar uma foto, guardar a sua foto. Me deixe pintar as unhas de vermelho, repartir o cabelo no lado, mudar de profissão. Me deixe escrever pausadamente, repetidamente, inexplicavelmente. Me deixe estudar, prestar atenção na aula, tomar sorvete no frio, queimar as bochechas no calor. Sentar na grama, ouvir uma flauta e um violão. Olhar pra cima e ficar cega de luz, de nuvem, de céu. Me deixe ser assim pra sempre.

abril 9, 2008 at 1:00 am 1 comentário

Sobre se ver… bem.

Eu pensei muitas vezes em morrer de chorar, de tomar remédio, de pular do sétimo andar, morrer de dormir, de comer, morrer de tanto pedir “por favor, me escuta.”, morrer de tanto tomar sorvete de creme, fanta uva ou água do mar. Eu pensei muitas vezes em escrever. Eu pensei muitas vezes em não mandar. Eu pensei em não jogar, não correr, pensei em não cantar, não ouvir. Todas as vezes eu só pensei.

Essa semana eu morri de tanto rir. Comi confete fingindo ser remédio. Fiquei horas olhando a vista do sétimo andar e quis ficar ali em cima para sempre. Dormi um dia inteiro, comi a tarde inteira. Pedi “por favor” e não insisti. Tomei sorvete de creme com calda de morango, de chocolate, de caramelo. Resisti a fanta uva, troquei água salgada por água doce. Eu escrevi, eu mandei. Eu joguei, eu corri, eu cantei e eu ouvi. Eu ME vi. Me vi ser mais feliz, ser mais viva, ser mais eu.

 

 

 

 
obs. Mil perdões se estiver super mal escrito. Esse texto foi de última hora, último minuto e último segundo.

abril 9, 2008 at 12:30 am Deixe um comentário

Novas metas, métodos de vida e mentiras também

Porque toda mudança exige um começo, mesmo que você nem saiba o que quer mudar.

.
Estou tomando mais água para (tentar) esquecer um vício chamado: Fanta uva. Depois que comi um pacote de jujuba inteiro nos míseros 15 minutos de intervalo, eu também decidi (tentar) parar com esse outro vicio.
-Por uma vida mais saudável, não matarei o futs de quartas, caminharei sempre que possível (leia-se: quando não estiver frio) e trocarei o “Carro dos Sonhos Freguesia” por mais visitas ao “Cheiro Verde- frutas e verduras”.
-Por uma mente mais saudável, aboli novelas e seriados da minha vida. Esse último tópico vale somente até a segunda temporada de “Heroes” cair na minha mão em forma de presente, quero dizer, dvd.
Orkut, msn, myspace e afins, serão pouco freqüentados. Como sei que isso vai ser difícil, me limitei a somente 20 visitas, em cada site, por hora. Menti. Não sou tão compulsiva assim (cof cof). Se me pegarem visitando aquele maldito site de relacionamento azul-bebê mais de 4 vezes por dia*, Ctrl-C no que eu escrevo aqui: Vou deletá-lo! (menti de novo, não copiem!)

*Auto-castigo inválido nos finais de semana e feriados..

abril 2, 2008 at 8:07 pm 1 comentário


Hoje é dia…

abril 2008
S T Q Q S S D
« mar   maio »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Sofisticada no Twitter


%d blogueiros gostam disto: